+ Revista TUdo

Crítica Literária: A Autobiografia da minha Mãe

Escrito em 31/05/2021
Revista Tudo


Ela sabe que a falta a define. Ela imagina que poderia ter algum sentimento caso o possuísse, mas sabe que nada tem.

Nasceu faltante de mãe, que morre em seu parto e, a partir daí, seu destino está traçado, nada teria, tudo é vazio, ela é toda solidão.

Observando pai, madrasta e filhos dela o que vê também é a solidão; será que a própria ou a solidão deles que só a permite ver o mundo solitário?

“A autobiografia da minha mãe” é um livro de apenas 137 páginas,  mas bastante denso, a solidão é densa, a vida é densa.

Densa é a descoberta de si mesma consigo própria,; tantos pensamentos surgem na observação da vida própria e do outro que densifica seus pensamentos se formando o que consegue ser porque para ela é assim que é.

Sua mãe morreu quando ela nasceu e assim ela ganhou a falta que cultuou por toda uma vida porque foi tudo o que herdou.

Comentário: Nanci Oliveira

www.temperandoaspalavras.com