+ Revista TUdo

Meditar pode ser o início de uma nova vida

Escrito em 16/06/2020
Revista Tudo


É quase certo que uma nova ordem seja a realidade num mundo pós pandemia. A vida já não é mais e nem será como a conhecemos. É preciso, sempre, aprender a morrer, para então ser capaz de renascer. O novo, o inaudito, o início aguardam por nós. E a meditação pode ser uma grande aliada. 

O que preciso para meditar?
Meditar, antes de tudo, exige uma atitude interna. Não se trata de um mero exercício que, repetido à exaustão, conduz a resultados espetaculares. É, em princípio, em essência, uma profunda compreensão da nossa necessidade de recolhimento, silenciando a mente, acalmando o coração e relaxando o corpo. É buscar e encontrar, mais do que um alívio e proteção contra o estresse, as ameaças e perplexidades da vida (em tempos em que essas forças mostram suas garras mais que afiadas), uma confiança e vontade dentro de si mesmo capazes de conduzir toda mulher e todo homem à consciência do que eles realmente são: uma potência não realizada.


Meditação na medicina
Fundamental também é falar um pouco sobre a meditação associada à ciência e à medicina. Já há alguns anos, a agência do governo dos EUA responsável pelas pesquisas médicas (NIH, na sigla em inglês) reconheceu formalmente a meditação como prática terapêutica que pode ser associada à medicina convencional, complementar e preventiva.


Entre outros benefícios, meditar previne e combate a depressão, a hipertensão arterial, a dor crônica, a insônia, a ansiedade, os sintomas da síndrome pré-menstrual, além de ajudar a reduzir a dependência de álcool e drogas.

O que acontece enquanto você medita?
Esses estudos demonstram que a meditação reduz o metabolismo – os batimentos cardíacos e a respiração ficam mais lentos e o consumo de oxigênio pelas células cai. O sistema nervoso autônomo, responsável pela liberação dos hormônios adrenalina e cortisol durante os momentos de estresse, também é beneficiado. Em quem medita, essas “reações de alarme” são mais curtas e menos intensas. Dessa forma, a pressão do sangue e a força de contração do coração ficam alteradas por pouco tempo, comprometendo menos a saúde.

Torna-se mais inteligente
Também já ficou demonstrado que o cérebro de quem medita regularmente possui maior neuroplasticidade. Em outras palavras isso significa um maior número de sinapses, novas conexões entre os neurônios, gerando novos caminhos em uma atividade cerebral mais intensa, com um novo e quase inesgotável potencial de aprendizado. Em suma, nos tornamos mais inteligentes.

 



Como posso começar a meditar?

Existem inúmeras técnicas de meditação. Inclusive meditação em ação. Vou sugerir duas, simples, acessíveis e muito eficazes. Mas é fundamental que as práticas sejam diárias e constantes. É como comer.

Meditação em ação
Por exemplo, podemos meditar enquanto caminhamos. É necessário que a caminhada seja feita em silêncio e que você conte seus passos de forma alternada. Conte cem passos com o pé direito e depois mais cem com o pé esquerdo, e assim sucessivamente. Ao mesmo tempo em que conta, você também pode sentir o contato dos pés com o chão. 

A sensação voluntária e consciente de qualquer parte do corpo também é um excelente método meditativo. Ao mesmo tempo em que estiver se desvencilhando da carga de preocupações, medos, raivas, enfim, todo tipo de conteúdo mental e emocional, traga vida ao seu rosto com um leve sorriso enquanto caminha. Ele proporcionará um leve e ágil fluir a seus passos, além de concentração, paz e alegria.

Medite enquanto respira (com mantra)
Conduzir a atenção à respiração, tomar consciência da respiração é uma forma clássica e muito poderosa para alcançarmos estados profundos de calma e silêncio interiores. Sente-se confortavelmente numa cadeira num ambiente tranquilo, arejado e silencioso. Com os pés bem postados no chão, a coluna ereta e o corpo relaxado, feche os olhos e apoie suas mãos espalmadas sobre as pernas. Você vai contar suas expirações. Inspire normalmente, sem esforço, e ao expirar o ar, conte um algarismo. Repita isso cinquenta vezes, ou seja, você vai contar cinquenta expirações. Pratique por pelo menos dez minutos. Ao mesmo tempo, procure perceber e sentir o ir e vir do seu abdômen. Quando você inspira, seu ventre expande, e ao expirar, o movimento contrário, ele se recolhe. Faça isso da maneira mais natural possível. Jamais force a respiração. Reinicie a contagem após chegar à expiração número cinquenta. Sentindo-se bem com essa prática, você vai finalizar sua meditação com a repetição do mantra "Eu sou silêncio, Eu sou calma, Eu sou relaxamento". Repita-o pelo menos três vezes.

Lembre-se que o mar pode tornar-se violento, que ondas imensas e violentas, verdadeiras montanhas de água, podem formar-se, atemorizando os mais intrépidos marinheiros. Entretanto, a cena aterrorizante acontece apenas na superfície. A partir de uma certa profundidade, há no oceano uma paz e uma calma magníficas. Por isso, procure e encontre, todos os dias, a paz e a calma que estão sempre a sua espera, sob o maremoto das energias mentais, emocionais e físicas. É este o princípio da meditação e o início de uma nova vida.

Fernando Vianna é instrutor de Meditação e Revitalização Integral. É consultor de I Ching e palestrante.

ferseth@gmail.com