+ Revista TUdo

3 filmes imperdíveis para curtir neste mês de maio

Escrito em 22/05/2020
Revista Tudo


Nesse, que ainda é o mês das mães, selecionamos 3 filmes pra você se conectar com a essência do amor materno, um amor que é capaz de superar qualquer barreira.

Prepare os lenços, porque as lágrimas são inevitáveis.

 1.    Dançando no escuro (2000):
Bom, já partimos de princípio que o filme é dirigido por Lars Von Trier, um dos maiores diretores de filmes artísticos da história do cinema, trazendo consigo um repertório gigantesco, como, por exemplo, “Anti-Cristo”. O filme se trata de Selma (Björk), uma mãe solteira que trabalha dia e noite para sustentar seu filho, Gene. Mas Selma sofre de um terrível problema hereditário que aos poucos vai lhe cegando, logo, isso também é passado para seu filho, fazendo Selma economizar cada centavo para conseguir operar o menino. O filme de Von Trier é de partir o coração, com certeza é um dos filmes mais emocionantes e doídos que nos fazem entender o poder de ser mãe. 

2.    Room ( O quarto de jack) (2015):

O filme de Lenny Abrahamson conta a história de Joy (Brie Larson), uma mulher que aos dezesseis anos foi sequestrada por um abusador, e colocada em um cativeiro.
 Joy engravida do sequestrador, e têm consigo presa: Jack, um menininho simpático que apenas conhece a vida a partir de um quarto escuro e com poucos móveis. Joy faz o possível para tornar a vida do menino suportável, e consegue bolar uma fuga para que ele tenha a chance de sair do cativeiro. 
O quarto de Jack é um filme emocionante e extremamente pesado, principalmente por mostrar a perspectiva de um menino inocente, e de uma mãe completamente infeliz, mas que com a força do amor faz o possível e o impossível pelo seu pequeno.

3.    Central do Brasil (1998): 

Com certeza esse é um clássicos do cinema nacional, e com todo mereciment; a arte de Walter Salles mostra o amor de uma perspectiva dura e sofrida, mas que se conquista com pequenos gestos. O filme consta com Fernanda Montenegro como Dora; um ex professora extremamente amarga para a vida , que conhece o menino Josué, orfão de mãe, e abandonado por seu pai. Central do Brasil não é um filme que representa a maternidade, mas sim, o amor materno; Dora tenta ajudar o menino a encontrar seu pai nunca visto, e para isso, enfrenta varias aventuras nessa linda história.

Comentário de Eduarda Smilari e Isabella Figueiredo, estudantes de jornalismo, responsáveis pelo perfil @cineminders no Instagram.