+ Revista TUdo

Qual o melhor investimento para quem tem R$30 mil?

Escrito em 26/02/2020
Revista Tudo


Muitos são os questionamentos para quem tem em torno de R$30 mil e quer aplicar o dinheiro. Existem decisões básicas iniciais que vão te indicar qual a melhor oportunidade. Quando falamos em oportunidade, devemos levar em conta quesitos básicos iniciais que podem mudar muito a rentabilidade da sua aplicação e ajudarão a definir seu perfil de investidor. 

 
1º. Por quanto tempo você pode ficar com esse dinheiro aplicado? Curto ou longo prazo. Vamos imaginar que curto prazo seja algo em torno de 90 dias (3 meses) e, longo prazo, algo a partir de dois anos.  

 
2º. Qual é seu perfil de investidor? Agressivo ou Conservador. Agressivo significa aceitar correr riscos, tanto de ganhos maiores quanto de perdas, por exemplo: algumas ações em bolsa de valores, mercado futuro de commodities, e outros. 

 
Só nesses detalhes temos diversos tipos de investimentos, com rentabilidades bem diferentes. Uma recomendação é trabalhar com o longo prazo, se possível, e ficacom um misto de investimentos entre conservadores e agressivos, assim um pode equilibrar o outro em casos de oscilações na economia.  

Algumas coisas são importantes saber. Procure aconselhamento com especialistas, mas, fuja do seu Gerente de Banco. Ele nunca te ofertará a melhor opção por um motivo básico. Hoje, os Gerentes têm como base de seu salário, comissões e cotas a cumprir. Isso os leva a “forçarem” seus clientes a fazer aplicações que nunca são as melhores.  

Procure, primeiro, uma corretora de valores independente.  

Existem várias. Veja na internet. Na maioria dos casos, você faz tudo eletronicamente, sem precisar sair de casa; mas, atenção: verifique em órgãos oficiais se as corretoras estão autorizadas pelo Banco Central a operarem. Verifique isso no site da CVM-Comissão de Valores Mobiliários. http://www.cvm.gov.br/menu/regulados/corretoras/corretoras_dist.html 

Também fuja das ofertas “mirabolantes” Não existe mágica no mercado financeiro.  

É importante mencionar que aplicações até o valor de R$250 mil por CPF e por instituição financeira, considerando sempre o montante principal e os juros, com um teto limite de R$1 milhão em 4 anos, conta com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC); é como se você contasse com um “seguro” contra perdas. Para quem quer investir mais do que R$250 mil, a dica é optar por vários títulos de instituições diferentes. Assim, poderá garantir um retorno mais elevado em um investimento cujo risco continuará baixo. 

conhecida Caderneta de Poupança deixou se ser uma boa aplicação faz tempo pois, atualmente, o rendimento da poupança é calculado tendo como base 70% da Taxa Selic + TR (A TR é a Taxa Referencial, atualmente é 0%).  

Hoje, caso você invista R$30 mil na poupança, terá em um ano o valor de R$30.179,94 

Caso invista em dois anos, terá: R$30.360,96. 

Existem aplicações para diversos tipos de perfis, vejamos: 

  • CDB – Certificado de Depósito Bancário 

  • Tesouro Direto 

  • LCI e LCA – Letra de Crédito Imobiliário ou Letra de Crédito do Agronegócio 

  • Letra de Câmbio 

  • Fundo de Renda Fixa 

  • Fundo Multimercado 

  • Debêntures 

  • COE - Certificado de operações estruturadas 

  • Mercados de Comodities e de opções: veja:  www.b3.com.br/pt_br/  

 

Custos: 

Pode ou não haver cobrança de taxa de custódia. Geralmente, a corretora não cobrará essa taxa se o cliente já investir em ações ou em outros produtos financeiros. Assim como a caderneta de poupança, a LCI é isenta de Imposto de Renda para pessoas físicas. 

Tenha para você que é fundamental avaliar as alternativas com o auxílio de um especialista, para manter-se adequado ao seu perfil de risco e avaliando possíveis restrições, sempre ajustando a carteira de investimentos em linha com as mudanças de cenário.  

Fique atento com algumas lendas: Papai Noel, Coelhinho da Páscoa e ganhar muito dinheiro fácil com investimentos. 

Boa sorte! 

Prof. Dr. Giancarlo Pereira