+ Revista TUdo

Internet x Profissionais

Escrito em 20/01/2020
Revista Tudo


A Internet divulga as tendências, mas é quase impossível se copiar um projeto: Cada caso é um caso.

É fato que a globalização influenciou também o mercado de decoração e arquitetura.  
“Decore sem sair de casa”, é possível ler quando a palavra “decoração” é digitada no Google.  
Parece muito convidativo ler isso na internet, ainda mais com a vida atropelada que levamos pela falta de tempo e o acúmulo de atividades.   
É certo afirmar que a internet abre a mente de quem não tem a menor ideia por onde começar e não tem lugar melhor para pesquisar novidades e inspirações. Ajuda a dar um norte para quem, quando se trata deste assunto, se sente um peixe fora d´água. 
 
Antes mesmo de terminar a Semana do Design de Milão, já temos aqui, na palma da mão, as tendências que, literalmente, acabaram de sair do forno para o mundo.  
No entanto, é válido ressaltar que o que traz harmonia, exclusividade e ousadia a um projeto de decoração ou design de interiores é o olhar e a experiência de um profissional.  
Conversamos com especialistas em design de interiores para saber como lidam com a influência da internet e para entender como conseguem driblar a tecnologia e humanizar o processo de criação.



Foto: Marcela de Oliveira “A exclusividade e a personalização acontecem através do profissional”

“Hoje, as tendências mundiais são divulgadas com muito dinamismo”, explica a Design de Interiores Marcela de Oliveira, que acha isso favorável, uma vez que deu mais visibilidade para a importância dos profissionais da área. “Isso abre a visão do cliente, apesar dele não ter condição técnica para executar o projeto; por isso, além de pesquisar na internet, é fundamental que ele busque alguém da área para executar, adequar e equilibrar”, explica.  
A troca entre cliente e decorador é essencial para construir um projeto de design de interiores. “Numa casa já concebida, por exemplo, preciso entender o estilo de vida do meu cliente, as situações que fazem parte do cotidiano dele, as referências que o agradam e harmonizar isso com a arquitetura do espaço e com o que já existe ali”, conta Marcela.  

 

De acordo com premiada design de interiores Flávia Brandão, é um grande erro projetar apenas com o que você vê de imagem, já que ambientes costumam ter inúmeras interferências como dimensionamento e iluminação e que você não vai encontrar igual na internet. “Navego essencialmente para ter referências de produto, de cor e resultado”, explica a profissional. 

 

Portanto, use a abuse da internet.  
Mas, sem esquecer que uma pessoa sem orientação e buscando referências por si só, dificilmente vai conseguir materializar e harmonizar texturas, cores e estilo num projeto, optando por peças desconexas ou pesadas para o ambiente, que muitas vezes tiram o equilíbrio e a elegância.  

 

Cada profissional imprime a sua personalidade no ambiente, com um processo criativo único.  
“A exclusividade e a personalização acontecem através do profissional”, afirma Marcela, que complementa: “referências são somente desencadeadoras de ideias soltas, que podem ser desconexas” 



Projeto de Marcela de Oliveira: Home Office anexo à suíte do casal; funcionalidade e espaço para meditação. Projeto único.

Você sabe a diferença entre um decorador e um design de interiores? 
O decorador é aquele profissional formado (ou não) em um curso de curta duração ou é um autodidata. Suas atribuições são muito restritas, pois seu conhecimento sobre vários componentes de uma obra é nulo. Escolhe acessórios, móveis ou cores sem que altere fisicamente a obra.  

 

O designer de interiores, além do trabalho do decorador que vem ao final do projeto, tem a função de elaborar o espaço coerentemente, seguindo normas técnicas de ergonomia, acústica, térmico e luminotécnica, além de ser um profissional apto para captar as reais necessidades dos clientes e concretizá-las por meio de projetos específicos. A reconstrução do espaço através da releitura do layout, da ampliação ou redução de espaços, dos efeitos cênicos e aplicações de tendências e novidades técnicas, do desenvolvimento de peças exclusivas.  

 

 

Erros comuns que as pessoas cometem por não consultar um profissional  

  • Espalham flores artificiais pela casa porque não têm tempo de cuidar das naturais. É fundamental saber qual flor utilizar e a que melhor combina com o seu ambiente. Flores artificiais pegam pó e estragam se não forem bem cuidadas.  
    No entanto, dê preferência a arranjos naturais: ar puro nunca sai de moda.  

  • Copo de abajur escuro ou estampado em ambientes que pedem mais claridade.  

  • Papel de parede com estampas diferentes, um em cada cômodo da casa.  

 



Foto: Flávia Brandão: “Na internet encontro referências; é inviável copiar um projeto”


Projeto desenvolvido por Flávia Brandão; cada ambiente tem suas próprias interferências

Tendência para 2020 
Da mesma forma, a natureza – e tudo relacionado a ela – continua com tudo em 2020. Materiais naturais como madeira, bambu, pedra, lã, couro, palha, vime, barro e cerâmica, e cores básicas da natureza, como verde, azul e marrom, favorecem a tranquilidade e o bem-estar necessários em um mundo cada vez mais veloz e estressante, celebram a simplicidade como essência e dão vida a espaços e elementos sem identidade. 

Nas tendências para o novo ano, a madeira em tons claros, especialmente no piso, aquece, aconchega e traz equilíbrio aos ambientes. Aliás, outras tendências que continuam ou vem com tudo no próximo ano são a divisão de ambientes com materiais naturais, o uso de papel de parede que evoca a natureza com motivos marcantes e a presença de jardins interiores, verticais ou suspensos. #ficaadica 

 

Contatos: 
Marcela de Oliveira 
www.marceladec.com 
@marcela_oliveira_interiores 
 
Flávia Brandão 
Fb/Flábia Brandão - Arquiteturam interiores e obras 
@flaviaarqui 



Projeto de Marcela de Oliveira


Projeto desenvolvido por Flávia Brandão