+ Revista TUdo

Paisagismo em 2020!

Escrito em 14/11/2019
Revista Tudo


Se exibir para os amigos com belas esculturas no jardim de casa, assim como combinar famosas espécies da flora brasileira, não será a grande aposta de 2020 para quem adora renovar o paisagismo a cada estação. É que o comportamento do brasileiro evoluiu e ele está realmente preocupado com o Planeta, e em ter uma alimentação limpa, sem o uso de agrotóxicos. Pensando nisso, as hortas chegam para ocupar os quintais e trazer beleza e economia para quem adora ter contato com a terra. Além do que, está comprovado que mexer com terra e plantas faz um bem tremendo para a saúde. Sim, cultivar e plantar é uma forma de higiene mental e tem sido indicada com uma importante terapia para quem sofre de doenças ligadas à depressão e ansiedade. A equipe da Revista Tudo reuniu uma porção de dicas para você começar já a sua horta. Confira!  

 

Temperos e Ervas - no topo da lista  

Para cultivá-los é preciso ter boa vontade, criatividade e imaginação. Não se preocupe com o espaço porque eles podem estar em pequenos vasos e jardineiras. “O legal delas é que você pode ir colhendo em partes, diferente da cenoura, por exemplo, que é sazonal, ou seja, você planta, colhe do solo, planta denovo e espera crescer”, explica Daniel Szego 

 

 

Aproveite o verão para cultivar manjericão; a espécie se adapta muito bem a climas mais quentes e gosta de bastante sol. Para mantê-lo na sua horta em casa, as regas devem ser constantes, porém, moderadas. Uma dica importante: as flores do manjericão “roubam” a força da planta e devem ser cortadas. 



Dicas importantes do arquiteto granjeiro Daniel Szego 

  • Observe a quantidade de sol que o local escolhido para a horta recebe. A maioria das plantas de horta requerem sol pelo menos durante a metade do dia. Caso o local não tenha sol, opte por espécies que não necessitem dele. (Veja quadro Horta sem Sol).  

  • Se a horta tomar bastante Sol, precisa ser regada diariamente.  

  •  

Atenção: quanto menor o vaso, mais necessidade de rega. 

 

Horta sem Sol 

 

Para algumas plantas, o contato direto com o sol pode até ser prejudicial. Mas três coisas são essenciais: luminosidade, ventilação e água. Rúcula, chicória, rabanete, alface, agrião, couve-de-bruxelas, acelga, beterraba, espinafre e ervilhas são ótimas opções para lugares onde o sol não está presente. “Na parte de temperos, hortelã, cebolinha e sálvia são espécies que precisam de menos sol”, explica Daniel.  

 

Horta com as crianças 

Plantar tomatinhos é uma forma bacana de envolver a criançada no cultivo. A cor vermelha e o sabor delicioso fazem com que elas adorem participar dos trabalhos na horta.  

 

Hortinha turbinada 

 

O sol realmente é um elemento de força para obter plantas saudáveis. Sendo assim, na falta dele, o ideal é cuidar em dobro da sua horta. Se você conseguir movê-las para o sol por algumas horinhas, ótimo! Se não for possível, então é preciso tomar muito cuidado para que ela esteja sempre hidratada com água e potencializar a terra. 

 

Não tem uma casa bem iluminada? 

 

O jeito é usar lâmpadas fluorescentes do tipo Day Light. Mas utilize apenas se for necessário, ok? O ideal é usar um suporte que mantenha a luz afastada da planta em torno de 45 cm.  

 

 

As hortas verticais são práticas e bonitas, perfeitas para locais onde há pouco espaço, como apartamentos pequenos. Você só precisa ter uma parede disponível, onde incida sol pelo menos três horas por dia, para manter suas plantinhas saudáveis. 

 

 



Melhor horário para regar 

 

Use sempre uma terra escura e rica em nutrientes orgânicos. Regue todos os dias, mas nunca nos horários entre 10 da manhã e 5 da tarde, pois o sol está muito intenso e a água evapora rapidamente.  

 

Hortaliças e vegetais que precisam de muito sol 

Apesar de algumas plantas viverem super bem na sombra, algumas não resistem e só vão bem no sol direto. Veja alguns exemplos de plantas que vão bem em ambas as situações e outras que só vão pra frente se tiverem expostas ao sol: 

Coentro (vive melhor no sol) 

Manjericão (não sobrevive à sombra) 

Orégano (fica mais saboroso e vive melhor se exposto ao sol) 

Pimenta (aguenta até cerca de 34ºC) 

Sálvia (vive melhor no sol) 

Legumes precisam de sol pleno para se desenvolver, ou seja, de seis a oito horas por dia.  

 

Informações para iniciantes: 

  • O alecrim é um dos temperos mais aromáticos para se ter em uma horta em casa.   

  • As pimentas, com suas cores fortes, enriquecem o visual de sua horta em casa.  

  • A salsa é uma planta da família da Apiaceace e é recomendado que seu cultivo seja isolado, ou seja, use um vaso somente para esta espécie, pois elas são alelopáticas. Traduzindo: quando plantadas junto com outras espécies, a salsa inibe o crescimento delas. - Já a hortelã, o orégano e o tomilho beneficiam plantas vizinhas já que repelem insetos maléficos como os pulgões e atraem insetos benéficos como as joaninhas.  

 

Vasos de 30 cm 

- Hortelã (Mentha) e - Manjerona (Origanum majariona) 

 

Vasos de 15 cm 

 - Oréganos- Tomilho 

 



Horta sustentável 

Ao invés de utilizar vasos de plástico, opte por (re) utilizar garrafas pet. Caso você tenha potes de sorvete, eles também serão muito bem vindos 

 

Atenção 

Utilizar blocos, tijolos, pneus ou qualquer outro material que a criatividade permitir, ao redor dos canteiros é uma alternativa para combater a erosão.  

 

Como preparar o solo?  

O solo para produzir em vasos, muito conhecido como substrato, deve ser preparado e ter tido a adubação orgânica correta. Já para a plantação direto no solo, é importante que ele seja fértil e fofo (na densidade adequada) para que a entrada de nutrientes coincida com o crescimento do sistema radicular e sua nutrição. Nunca deixe o solo encharcado, para que não ocorra a proliferação de fungos ou bactérias.   

 

Não importa: pode plantar legumes em apartamento, em vasos, sim!  

A vagem é uma boa dica de legumes para plantar em casa. Basta cultivá-la num vaso e fazer desta tarefa simples uma atividade em família. Uma colheita regular faz a planta produz cada vez mais.  

 



Dica:  

como a vagem é, claro, um tipo de feijão, vai necessitar de um suporte para crescer na vertical – ou seja, para “trepar”. A rúcula é uma planta de rápido cultivo: as folhas podem ser colhidas quatro semanas após semeadas! Ela pode ser mantida em ambientes fechados, já que se desenvolve melhor em locais não muito quentes. Como as raízes são pequenas, não precisa de um vaso grande: 20 centímetros de profundidade já são suficientes. As sementes são pequenas, por isso podem ser plantadas superficialmente. 

 

 

 



Colaborou com esta matéria: Daniel Szego Arquitetura Endereço: Av. São Camilo, 1025 - Granja Viana, Cotia - SP, 06709-150 Telefone: (11) 99914-1673

Aprenda a fazer um terráreo em sua casa ou apartamento. .  

 

Faça seu próprio terrário

O recipiente para o terrário deve ser suficientemente profundo para as raízes das plantas. Você pode comprar um novo ou reaproveitar algum antigo que esteja encostado em casa, lembrando que ele precisa ser previamente limpo.

Para criar um terrário, é possível usar vários tipos de recipientes de vidro, como:

  • Aquário
  • Vaso de flores
  • Chaleira
  • Sopeira
  • Luminária
  • Taças
  • Garrafa
  • Frascos de laboratório
 

Praticamente qualquer planta resistente pode ser usada em um terrário. Escolha plantas com características similares, para que possam crescer juntas. Algumas das mais usadas em mini jardins são samambaias, musgos, suculentas, cactos, etc.

Para começar a fazer seu terrário, você irá precisar de um recipiente de vidro e dos materiais a seguir, que podem ser encontrados em floriculturas ou lojas especializadas em plantas ornamentais:

  • Solo. Opte por um solo leve e de boa drenagem, de preferência com musgo. Se possível, com o musgo esfagno.
  • Cascalho e pedrinhas. São elementos que favorecem a drenagem e, quando posicionados na superfície, ajudam na composição visual.
  • Carvão ativado. Se o recipiente não tiver orifício para drenagem, é obrigatório adicionar pedaços de carvão ativado.
  • Musgo. Colocar uma camada de musgo no fundo de um terrário é uma boa ideia, já que ele age como uma esponja que absorve o excesso de umidade.
  • Instrumentos para plantar. Luvas e um regador.
  • Enfeites. Você pode colocar pequenos anões de jardim, conchas, pedras, pequenos bonecos ou decoração de aquário.

NA HORA DE PLANTAR

  • Lave o recipiente de vidro. Se for reutilizado, lave com água e sabão. Enxague bem.
  • Coloque a drenagem. Misture o cascalho, as pedrinhas e um punhado grande de carvão ativado. Espalhe pelo fundo do recipiente, deixando uma camada de cerca de 2,5 centímetros de altura.
  • Coloque o musgo. Isto evitará que a terra grude embaixo do cascalho, além de absorver o excesso de umidade.
  • Coloque a terra. Dependendo do tamanho do seu terrário e do comprimento das raízes das plantas, você irá precisar de uma camada de terra com cerca de 5 a 8 centímetros. Aperte levemente a terra para eliminar o ar. Faça os orifícios na terra onde suas plantas serão posicionadas.
  • Comece a plantar. Retire a planta do vaso anterior, sacuda as raízes para tirar o excesso de terra e, com cuidado, coloque-a no buraco previamente preparado. Aplane a terra em volta da planta. Repita o processo com as outras plantas.
  • Adicione enfeites. Para isso, você pode usar musgo, pedras, conchas e bonecos, criando uma composição exclusiva.
  • Regue um pouco as plantas. Regue o terrário levemente, uma pequena quantidade de água já é suficiente.

 

CUIDADOS ESSENCIAIS

  • Regue as plantas. Se seu terrário é aberto, regue-o de vez em quando. Terrários totalmente fechados não precisam de água. Já os abertos podem ser regados uma ou duas vezes por semana. Suculentas e cactos podem receber água uma vez por mês.
  • Mantenha a saúde de suas plantas. Se perceber o surgimento de alguma erva daninha, retire-a. Se notar mofo ou plantas doentes, retire-os imediatamente do terrário. As partes murchas das plantas também devem ser retiradas.
  • Ventile o terrário. Caso tenha escolhido um terrário fechado, é preciso ventilá-lo de vez em quando. Ainda que não seja obrigatório, a ventilação é indicada quando as plantas ficam secas ou se você perceber gotas de condensação na parede.

FONTE: incrivel.club