+ Revista TUdo

Qual o seu hobby?

Escrito em 02/08/2019
Revista Tudo


Fazer cerveja 

Pra que ir até o boteco se o boteco por ir até você? 
O músico Rafael Massi e o administrador Marcelo Massi - irmãos moradores de Cotia e cervejeiros que verdadeiramente gostam da coisa - optaram por ocupar parte do tempo produzindo a própria cerveja. A brincadeira começou faz um ano meio e os dois, há quatro meses, transformaram o hobby em negócio. Nasceu a Tetê, cerveja com rótulo nada convencional e sabor marcante.  
O primeiro passo foi estudar. “Começamos a fazer um curso na Cervejaria Escola Sinnatrah, que é liderada pelos mestres cervejeiros da Mea Culpa”. (cervejaria artesanal que vem ganhando espaço em bares e restaurantes da região).  
Foi na quarta brassagem (processo de produzir a cerveja) que os irmãos resolveram parar de beber toda a produção e apresentar a obra prima aos professores e amigos. “Os professores dão opiniões e mostram onde estamos errando e acertando; estamos em constante aprendizado”, conta Rafael.   
Hoje, os estilos que enchem os bolsos da dupla são a APA - American Pale Ale e IPA - India Pale Ale, que divertidamente eles nomearam de APAranoia e IPApai. A Weiss (de trigo), eles rotularam de WEISSdeboa e a Porter, que cai super bem no inverno, ainda não tem nome mas já foi super bem aceita pelos cervejeiros.  
Rafael e Marcelo são um grãozinho de areia no oceano. Não é preciso ser nenhum especialista em varejo para saber que, nos últimos anos, houve um verdadeiro boom nesse setor e que cervejeiros caseiros de todo o Brasil vêm garantindo seu espaço nos cardápios dos barzinhos, oferecendo opções diferenciadas aos clientes.



Quanto vou gastar para começar a produzir a minha própria cerveja? 

Valor do curso para iniciante: R$350 
Kit cervejeiro para produção: R$2.000 
(vem acessórios e insumos para a produção de 1 cerveja) 

Os cursos na Sinnatrah variam de R$150 a R$800 
No site dá para encontrar um Brew Shop com todos os acessórios necessários para começar a produção.  

Kit para produção de uma Pale Ale APA: R$90 
A receita para 20 litros contém: 
5,5 kilos de maltes de variedades como Pale Ale, Pilsen e Caramel Hell 
50g de lúpulos de variedade americana, como Columbus, Chinook ou Simcoe 
1 pacote de levedura Ale americana, como US-05. 
Acompanha receita e modo de preparo com passo a passo para produção. 

 

Alta ou Baixa? 

A principal diferença entre as cervejas Lager e Ale é o tipo de fermentação. As Ale são feitas com alta fermentação, e na maioria das vezes a levedura atua no topo do tonel. Já as Lagers são feitas com baixa fermentação ou também conhecido como fermentação a frio. 

No grupo das Lagers (estilo mais consumido no Brasil) temos a famosa Pilsen, American Lager e Helles, entre outras. No grupo das Ales temos a Pale Ale, a India Pale Ale (IPA) e Irish Red Ale, por exemplo. 

 

Guarde bem estas regrinhas:  
 
Lager 

O estilo é originário da Baviera do século XIX e surgiu com o hábito de guardar as cervejas em caves muitos frias. O resultado era uma fermentação  que ocorria no fundo do tonel, e à temperaturas bem baixas (entre 6 e 12 graus). 

-Em geral as “Lager” são cervejas mais leves, de cor clara, com amargor moderado, alta carbonatação e graduação alcoólica entre 3 e 6%. 
 
Ale 
Alta fermentação porque a levedura acaba ficando no topo do tonel e também porque estamos falando de temperaturas mais elevadas para a fermentação (entre 15 a 24 graus). Esse processo cria cervejas mais complexas, frutadas e lupuladas. São mais encorpadas, mas o sabor e a cor pode variar bastante. 

 

O Beabá da cerveja 
A famosa Lei de Pureza Alemã determina que a cerveja deve ser feita de quatro ingredientes básicos: água, malte, lúpulo e levedura. Naturalmente, há diversos outros ingredientes que podem ser adicionados à cerveja com diversas funções, mas esta, invariavelmente, é a base. 


Acessórios necessários 
Para a produção de cerveja caseira os equipamentos necessários não são complexos. Você pode adquiri-los em lojas, agropecuárias ou em alguns sites especializados na Internet na forma de kits “prontos”. Ressaltamos que é possível montar o seu próprio equipamento, economizando dinheiro em troca de algum trabalho de adaptação. 

 

Kit para 10 litros de produçãoO que vem? 
Confira no APPTudo lista de acessórios para começar já a sua produção.  

 

Conheça os diferentes tipos de cerveja 
Preparamos um glossário com os sabores de cada cerveja para você não se perder. Escolhemos as mais famosinhas. Confira! 
 

Lager 
São as cervejas de baixa fermentação e já conhecemos por aqui. Em geral, têm sabores e cheiros que lembram malte (cereais, pão tostado) e lúpulo (amargor, aromas florais). A maior parte dos estilos alemães e checos se encaixa nessa família. 

Pilsen 
O carro-chefe das cervejas lager foi inventado em 1842 na cidade checa de Pilsen. Antes dele, nenhuma cerveja era transparente, tão clara e leve ao paladar. Essas características, aliadas à invenção da geladeira, permitiram que a bebida conquistasse o mundo. 

 

Bock 
Produzida na Alemanha, ela é avermelhada, bastante maltada e com teor alcoólico alto. Diz a lenda que os alemães brincavam que essa cerveja era tão forte quanto um coice de bode (bock). 

 

Ale 
Já falamos dela na matéria. Esse processo cria bebidas com aroma de frutas e especiarias, bem mais perfumadas que a Lager. São Ale os estilos típicos da Bélgica e da Inglaterra, além das cervejas de trigo feitas na Alemanha.  

 

Weissbier 
Cerveja branca em alemão, ela leva maltes de trigo e de cevada na receita. A característica do estilo são os aromas de banana e de cravo, apesar de a bebida não conter uma coisa nem outra. A do tipo Hefeweizen é clara como a Pilsen, mas se torna turva devido ao fermento em suspensão. 

 

Barley Wine 
É uma Ale de origem inglesa, bem maltada e bastante alcoólica. Licorosa e sem gás, vai bem com sobremesas e pode ser armazenada por muitos anos. 

 

India Pale Ale 
A IPA é uma cerveja carregada no álcool e no amargor. Isso porque o estilo foi inventado para atender às necessidades dos colonos ingleses da Índia, que precisavam de muito lúpulo e malte para aguentar a viagem de navio. 

 

Stout 
Típica da Inglaterra e da Irlanda, é preta como asfalto. Existem opções doces, secas e até feitas com aveia. As mais alcoólicas recebem a classificação imperial stout. Grossa e encorpada, levou a fama de ser um fortificante para trabalhadores braçais e lactantes.

 

Dubbel 
As cervejas desse estilo belga são um parque de diversões para os sentidos. O sabor do malte lembra chocolate e caramelo. Dá também para perceber aromas de ameixa seca, cereja e banana.  


Aula na internê 
Dá para aprender sem sair de casa? Dá.  
Hoje, existe um universo online de opções para você fazer a própria beer, sem crise.  
O acervacarioca.com.br é um dos mais famosos. Os caras te colocam por dentro de absolutamente tudo do mercado cervejeiro.  
O homebrewtalk.com.br é uma parceria com o HomebrewTalk norte-americano, o maior fórum do mundo sobre cerveja caseira. A versão brasileira é a maior comunidade nacional de cervejeiros caseiros. 
Quer se aventurar logo de cara? Acesse comofazercerveja.com.br e coloque a mão na massa.  
 

Para a mulherada que gosta de uma breja, esses dois sites são bem legais e trazem um pouco do universo feminino cervejeiro: lupulinas.com.br (Cilmara e Vange escrevem sobre cervejas artesanais, brasileiras ou importadas, porque acreditam que há uma receita para cada paladar. Ou para cada momento. Ou para cada refeição).  
O maltemoiselles.com.br foi criado por uma confraria feminina de Sampa. 

  

Perigos na brassagem 
Nem só de alegria vive o cervejeiro caseiro. Um cuidado que deve ser tomado é na hora da produção, já que o risco de contaminação é grande. Se acontecer, tudo vai ralo abaixo.  A limpeza minuciosa dos acessórios e seguir à risca o processo podem colaborar para que a contaminação não aconteça. Se ocorrer, tente retornar ao passado e identificar como aconteceu, para que o erro não seja novamente cometido.  
No mais, saúde. Boa produção, cervejeiro.