Notícias TUdo

Devo auxiliar meu filho na tarefa de casa?

Escrito em 06/04/2021
Revista Tudo


A tarefa é atribuição do aluno. Os pais podem e devem ajudar, mas somente na preparação do ambiente, na organização da rotina e quando forem solicitados pelos filhos. Essa postura auxilia na construção da autonomia da criança.

Uma situação é o monitoramento dos adultos, outra, é a dependência, que produz desgaste nas relações familiares.

Se a criança disser que não sabe fazer: o adulto poderá lembrá-la que aquele tipo de atividade já foi realizada em classe, incentivando-a na execução da mesma.

Lembre-se: há uma diferença fundamental entre auxiliar a criança (para que ela relembre o que deve ser feito) e realizar a tarefa pela criança (ditando, fazendo exercícios ou oferecendo modelos prontos para serem copiados, por exemplo).

Se a criança questionar sobre o modo “correto” de escrever, pode-se fazer alguma intervenção, pois foi iniciativa dela pedir ajuda. Exemplo: “Eu escrevi certo? ”, pergunta a criança. “Você ainda escreve de um jeito diferente dos adultos, mas você pensou nas letras da palavra, fez do seu jeito e isso é o que deve ser feito”, responde o adulto.

Se a criança disser que não há tarefa, considerar sua afirmação e deixar que ela retorne à escola sem realizá-la. Diante disso, será orientada em sala de aula. Se persistir, o adulto poderá enfatizar a importância da tarefa e o compromisso da criança, conscientizando-a sobre sua responsabilidade como estudante.

Se a criança solicitar muita ajuda para realizar a tarefa de casa, os pais devem comunicar a escola para que os motivos sejam analisados. A experiência tem mostrado que, na maioria das vezes, a criança pede ajuda porque tem medo de errar e não suporta a ideia de expor isto ao professor e aos colegas. Ainda não consegue perceber que a tarefa será valorizada pela sua disponibilidade de pensar e buscar soluções com autonomia e não só por apresentar respostas corretas.

Sobre a participação dos pais nas tarefas de casa, a orientação é que não façam pela criança aquilo que ela tem condições de realizar sozinha, mesmo que o resultado não corresponda às expectativas dos adultos. 

 

 



Sueli Marciale, psicopedagoga e diretora assistente da Unidade Granja Vianna, do Colégio Rio Branco.