Notícias TUdo

Solidariedade Virtual mode on

Escrito em 06/04/2020
Revista Tudo


De divulgação ao pequeno empreendedor às terapias online, brasileiros se mobilizam para ajudar o próximo em meio ao confinamento. Na região, ações ganharam força e adeptos.

A Revista Tudo não ficou fora dessa não. Aliás, foi pioneira no quesito divulgação social em suas plataformas digitais: Facebook, Instagram e App Tudo. Sua equipe disseminou propagandas de dezenas de empreendedores e comércios que ofereceram produtos e serviços nas páginas das redes sociais, como forma de colaborar com o pequeno comerciante neste momento de crise. “Não dá pra gente fechar os olhos para eles, então, optamos por divulgá-los gratuitamente e tivemos uma resposta imediata desta ação; essas iniciativas são um grande incentivo para que os moradores da região consumam aqui, já que boa parte ainda costumava comprar em outras cidades como São Paulo, por exemplo; a pandemia já está mudando esta realidade”, explica a publisher da Revista, Roberta Smilari.  

A arrecadação de cestas básicas realizada pelo jornalista Eduardo Soares foi recorde. Em poucos dias ele atingiu a marca de 250 cestas básicas doadas por meio de postagens em seu perfil pessoal no Facebook e ganhou entusiastas por toda a cidade. O objetivo é ajudar famílias que não conseguiram driblar os efeitos da quarentena e estão passando necessidade.


Anônimos ou públicos, pessoas estão esbanjando generosidade enquanto o mundo atravessa um momento difícil para todos. Seja por meio de alimentos, roupas, divulgação ou até mesmo da doação do precioso tempo para bater um papo com um desconhecido que esteja aflito, pode ser transformador ativar o botão da solidariedade e fazer de um momento de aflição uma era de otimismo e esperança.



 



Eduardo Soares e a arrecadação virtual de mais de 200 cestas básicas

Ainda bem que em meio à crise, tem gente que guarda a própria dor no bolso para ajudar o próximo. Orgulho de vocês.
Ass: Equipe Tudo

Assim fez a granjeira Raphaela Alves, que postou sua disponibilidade de ajudar as pessoas que precisassem de ajuda para fazer compras de alimentos e medicamentos. “Recebi a ligação de uma moça que queria apenas conversar um pouco, pois estava se sentindo sozinha”, contou ela. 

 

 

 

 



Raphaela Alves bateu um papo com uma desconhecida que estava se sentindo solitária

 

O grupo do Facebook “Granjeiras”, que tem mais de 10 mil membros mulheres da região, abriu de forma organizada a possibilidade de empreendedoras divulgarem seus trabalhos. Em sua criação original, e pelo que se diferencia dos demais, o grupo não permite anúncios e promoções em geral, apesar de ser permitido indicar comércios e serviços, fomentando a economia local. “Por conta do contexto, organizamos alguns posts onde as participantes do grupo possam oferecer seus produtos e serviços”, explica sua idealizadora, Stella Wilderom. “Algo que sempre me orgulhou no Granjeiras foi essa coisa de ir além do individual, de ter um senso de comunidade; numa situação extrema como essa, esse DNA tem se mantido e se fortalecido”, completa.
Saiba mais: @granjeiras

 



Outro grupo do Facebook que se destacou foi o Amigas da Granja, que pediu via internet produtos como leite, alimentos, cestas básicas, produtos de higiene e limpeza para serem divididos entre três instituições da região.


“Essas ações são um grande incentivo para que os moradores da região consumam aqui, já que boa parte ainda costumava comprar em outras cidades como São Paulo, por exemplo; a pandemia já está mudando esta realidade”, Roberta Smilari, publisher da Revista Tudo.


Sim! Dá para vender em meio à crise

A coach de vendas Paula Miranda, da Asserttiva Desenvolvimento Humano, não só tem se adaptado ao momento como teve um olhar generoso para quem tem enxergado o momento com desespero e desânimo.

Apesar de ter todo um conteúdo pago na internet, a profissional tem gerado um conteúdo gratuito com bastante frequência para ajudar os pequenos empreendedores a atravessar a crise com mais otimismo. “A gente tem que se ajudar”, fala.

Opa! Aproveitamos para pegar com a Paula Miranda dicas infalíveis para você continuar o trabalho em meio a pandemia.

Não suma 

Não adianta você sumir e nem esperar passar a crise para você se conectar com o seu cliente. Faça Follow up. Ligue para seu cliente, pergunte como ele está, como está se adaptando a esta nova fase.

Foque no relacionamento 

É possível se conectar com o cliente, hoje, por conferências de call (Zoom / Skype). Sabe aquele cafezinho que você gostava de tomar com ele? Continue esse relacionamento via internet.

Tenha um processo de venda

Agora é o momento de você rever seu processo de venda. Todo mundo precisa ter um processo de venda, tanto para o cliente micro às grandes empresas.

 Saiba mais: @assertiva_consultoria



Paula Miranda está ensinando, gratuitamente, as pessoas a venderem seus produtos e serviços durante a pandemia