Notícias TUdo

Estudos do Meio – aprender na prática, in loco, com muita criatividade e descobertas

Escrito em 30/05/2019
Revista Tudo


Todo mundo sabe que o conhecimento aplicado na prática faz toda a diferença no aprendizado, né? E se falarmos em aprender, fora da escola, com os amigos, tudo fica ainda mais divertido. 

Esse é o objetivo do Estudo do Meio, uma atividade interdisciplinar, que tem o objetivo de ensinar a teoria na prática, em campo, construindo novos conceitos, habilidades e atitudes. E engana-se quem pensa  que estamos falando apenas de viagens, com pernoite, para os maiores. Desde a Educação Infantil, cada vez mais, as escolas colocam em seu conteúdo programático saídas com os alunos para fora dos muros das escolas. Quem aí não se lembra da primeira ida ao zoológico com a turma da escola? Ou ao planetário, à Pinacoteca? 

Fato é que os Estudos do Meio, além de complementarem e darem nova roupagem ao conteúdo já aprendido em sala de aula, dão aos alunos uma visão própria do mundo, por meio da observação e do contato com diferentes perspectivas da realidade, além dos livros. É a maneira de cada um de absorver, com o seu repertório e as suas conexões.  

Mas é muito mais do que um passeio, uma excursão. Um estudo do meio exige planejamento, contexto, uma equipe preparada e, claro, a parceria com as famílias. É importante que os alunos saibam segurar a euforia e aproveitar cada momento, elaborando e absorvendo os conteúdos.  Além disso, crianças que têm estudos do meio desde o início da sua vida acadêmica, conseguem entender o processo de aprendizagem fora da sala de aula. Ou seja, o pátio, a casa, o parque, tudo acaba virando meio para aprender. 

Já na adolescência, os estudos do meio dão vida a conceitos de história, geografia, biologia, química e física. Observa-se o meio, a sociedade, os comportamentos  e as diferentes realidades. Tudo isso somado ao ganho de competências sociais, trabalhar em grupo, conviver com as diferenças e o famoso “se virar”, longe dos pais e de tudo o que lhe é familiar. 

Por outro lado, na escola, o planejamento começa muito antes, ao visitar cada local e entender se atende a necessidade daquela turma e daquele segmento. A partir disso, planejar cada passo, desde a saída da escola até o retorno, contemplando os aprendizados, alimentação, transporte, prever contratempos e todos os cuidados que os professores normalmente tomam. 

 

 

Principais Destinos escolhidos para estudos do meio
   
Petar O Parque Estadual do Alto da Ribeira, localizado na região do Vale do Ribeira, quase divisa com o Paraná é um dos destinos escolhidos no Ensino Fundamental II.
Lá, além de conhecerem as cavernas, o que por si só já valeria um estudo, os alunos têm contato com uma biodiversidade única, aspectos sociais e históricos
 importantes e um ambiente muiti propício para o desenvolvimento de inúmeras atividades multidisciplinares.
Cidades Históricas de Minas O conjunto de cidades mineiras Ouro Preto, Mariana, Congonhas do Campo, São João Del Rey e Tiradentes oferece aos alunos um banquete sobre a história brasileira.
Como normalmente este destino é visitado no Ensino Médio, os alunos têm mais maturidade e repertório para assimilar e absorver conteúdos relacionados à economia
e conjuntura social. O estudo proporciona ainda a oportunidade de ver as consequências da tragédia que assolou a cidade de Mariana, com o rompimento de uma barragem.
Ilha do Cardoso Parte da programação curricular de alunos de Ensino Fundamental II, o Estudo do Meio à Ilha do Cardoso aborda preservação ambiental, biodiversidade, patrimônio histórico
 e cultural, unidades de conservação e comunidades locais (caiçaras). Além disso, a relação entre sociedade e natureza fica muito latente, proporcionando reflexões valiosas.
Toca da Raposa Localizada em Juquitiba, a Toca da Raposo normalmente é uma opção de Estudo do Meio para alunos do Ensino Fundamental I. Lá, os alunos têm contato com animais em seu
 habitat natural, entendem seus hábitos alimentares e costumes. Além disso, lá localiza-se uma aldeia indígena xingu, que porporciona aos pequenos um aprendizado ímpar sobre nossas raízes.