Destaques TUdo

Sempre é tempo para COMEÇAR

Escrito em 11/02/2021
Revista Tudo


Não há limite de idade para uma pessoa começar a aprender música (Felipe Ávila)

Rick Chesther, o vendedor de água que hoje ganha 200 mil reais por mês, durante sua palestra, fala a seguinte frase: “Não vá dormir do mesmo tamanho que você acordou”.
Desta forma ele deixa o recado de que nunca é tarde para explorarmos novas capacidades. Expandir os horizontes para oportunidades além das quais estamos acostumados, mesmo depois de toda uma vida de experiências, pode ser transformador.

As atividades mais procuradas entre pessoas com 40 anos são: musculação, hidroginástica e música. Pela Granja Viana, batemos papo com o músico Felipe Avila, que garantiu que experimentar tocar um instrumento na idade adulta, mantém a pessoa pensando e raciocinando.

“Não há limite de idade para uma pessoa começar a aprender música. Não é como um esporte, por exemplo, onde dependemos de uma condição física. Para uma pessoa já com uma certa idade, devemos direcionar as aulas para o lado prazeroso da música. "Saborear"os sons, inventar, criar e, se possível, tocar as músicas prediletas. Estudar um pouco da teoria, para facilitar a compreensão de certas coisas é importante”, explica.

Carla Diegues, 45, é jornalista e doula e foi aos 42 anos que resolveu fazer aulas de violão. “Eu queria um prazer para chamar de meu, e não algo que fosse da Carla mãe ou da Carla profissional, esposa ou dona de casa. Escolhi o violão porque é algo que sempre tive vontade de tocar. E, desde então, muita coisa mudou na minha vida. Quando a gente se dedica a um instrumento, lidamos com diferentes dificuldades. É difícil começar algo novo porque tem um período de aprendizagem; tem que ter paciência e acreditar que os resultados virão”, contou ela. Por incentivo do seu professor, o Felipe Avila (que mencionamos acima), Carla começou a compor e lançou um EP com cinco músicas que estão disponíveis em todas as plataformas digitais. No final de 2020, ela lançou um single composto por ela - letra, voz e melodia -, com arranjos de Felipe Avila. A preparação da voz de Carla foi feita pela artista granjeira Ju Cassou.
“Trabalhar em cima desse material durante a pandemia foi algo que me deu muito prazer”, completou.

Antes tarde do que nunca

Praticar um esporte, mesmo que você nunca tenho feito nada, entra na lista de atividades que fazem bem para o corpo e para a mente.

O fisiologista Raul Santo de Oliveira esclarece que a saúde só tem a agradecer quando se começa a praticar um exercício físico, mesmo se você nunca praticou nada. Ele explica que, nessa fase da vida, após os 40 anos, é comum que exista perda de massa muscular e óssea, tanto para homens quanto para mulheres.

Ainda é importante alertar que é nesta idade que começa a aparecer doenças oportunistas e crônico-degenerativas, como hipertensão, diabetes, mau colesterol (LDL) elevado e até mesmo osteoporose - que, ressalta ele, também é consequência de hábitos trazidos pela vida toda, desde a infância. O exercício físico contribuirá com a melhora desses e outros quadros.

 

 

 

 



É difícil começar algo novo porque tem um período de aprendizagem; tem que ter paciência e acreditar que os resultados virão

Escolas como o SENAC apostam em cursos para pessoas com mais de 40 anos e que buscam novos desafios no mercado de trabalho.

Pela região, alguns cursos inspiram pela su inscrição.

Permita-se conhecer e ampliar a sua visão do mundo.